Ritmos

Já escrevi posts sobre este tema e sinto que mais hei-de escrever. Os ritmos são, cada vez mais acredito nisto, tão essenciais à sobrevivência como a sopa que vai para a mesa. Fazem tão bem à nossa saúde mental como horas de terapia. E sair deles é tão delicioso como comer um gelado num dia quente de verão. O maior inimigo dos ritmos são as férias e as doenças. E o maior amigo são os infantários.
E a nossa querida mais-que-tudo, esteve, infelizmente, doentinha na época da passagem de ano, para infortúnio de todos, que bebemos um golinho de espumante e desejámos 12 coisas ao mesmo tempo que empurrávamos uma macheia de passas de uva pela goela a baixo, para logo a seguir irmos dar colinho ao bebé que estava entupido, não conseguia dormir, etc. Felizmente não foi grave, mas foi chato.
Mas chata ficou a caganita depois de tudo isto passar. Passou a gripe, passaram 2 semanas, ao todo foram 3 em casa porque já levava uma das férias, passou-me a mim o vírus que me deixou um dia inteiro em ‘limpezas de primavera’, e passou também para a fase das birras.
Eu e o meu marido também nos passámos, várias vezes, e um com o outro, e por fim caímos na cama, no domingo à noite e dissemos, ‘Precisamos da M.’ Não, não é aquela do 007, é a primeira letra do nome da ama da criancinha.
É que as crianças precisam de ritmos. Eu, a maior defensora, até aqui!, de deixar as criancinhas com as mamãs em casa até aos seus 3 anos, sou, agora!, a primeira a gritar, ‘INFANTÁRIO!’, de lágrimas nos olhos, de felicidade, claro! Os infantários põem os meninos todos a comer ao mesmo tempo, conseguem que eles durmam a sesta, mesmo quando não dormem em casa, conseguem que eles comam o reforço a meio da manhã, o almoço e o lanche, sem grandes fitas, ou gritos, até conseguem pô-los no bacio sem choradeira, aprendem a falar mais, fazem jogos, cantam, pintam, brincam, estão a ver onde eu quero chegar??? É que os argumentos não se me acabam… Em casa, por MUITO que me custe admitir, os meninos e as meninas, gritam, fazem jogos, mas é dos psicológicos, com os pais, não comem, não dormem, enfim, pelo menos cá em casa é assim. E atenção, eu tenho uma filha que é um anjo! Ela pouco refila, dá miminhos, anda sempre perto de nós, e apesar de não dormir grande coisa lá dorme 30 min e come 1 concha de sopa ao almoço ou jantar. Mas realmente no infantário é vê-la.
De modo que hoje, querida segunda-feira, enquanto o resto da população, sem filhos, estava em depressão por regressar às secretárias e computadores, eu estava em pulgas, feliz, cheirosa, animada. Até a minha filha se entregou aos braços da ama, talvez também achasse que precisava de tirar um tempo de nós, os chatos.
E volvidos a casa lá estava outra vez a nossa menina a passar a porta connosco, pedindo colo, ajudando a preparar a sopa, jantando mais ou menos e caindo na cama às 21.30h. Oh querida M., és tão mais preciosa que a do 007. Que saudades tivemos de ti!!

Também quero dizer uma coisa

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s