A pior mãe do mundo

Tem estado doentes… ter filhos dá nisto, os miúdos às vezes adoecem. Quando adoecem ao mesmo tempo é pesado como tudo e a mãe parece ter sido levada por extraterrestres para experiências e voltado apenas há umas horas… quando adoecem à vez o cansaço acumula-se e a mãe parece ter-se tornado uma morta-viva, a funcionar em piloto automático…

Pois então tive direito a um mês inteirinho de 2 crianças doentes, ora à vez ora em simultâneo. Fizeram uma pausa de dois dias no Natal (ieeeei) e retomaram imediatamente. Ao ponto de me deitarem por terra que também fiquei adoentada e ter passado o ano novo a tomar benuron. Momentos para mais tarde recordar…

Lá retomamos o trabalho e escola, o miúdo ainda estava meio adoentado mas já tínhamos adiado tantas vezes as vacinas dos 12 meses que decidimos vacinar, já que não tinha febre, estava estável em relação à tosse, etc. No dia seguinte fez febre, o que estava dentro do quadro expectável, e no dia seguinte fez umas manchinhas vermelhas no corpo… a enfermeira tinha avisado que podia acontecer. A verdade é que me deu uma noite terrível, acordou de meia em meia hora e de manhã desatou aos gritos quando lhe tentei dar comida… já estava desesperada de um mês de doenças e de não dormirem e não comerem e apesar de ter tido febre-associada às vacinas, decidi levá-lo à ama. Ainda disse ‘ele está mesmo difícil, boa sorte!’ Achei que estava só chato e que eu precisava de me recuperar, ter um dia de trabalho normal e sentir-me o mais ‘pessoa possível’.

Umas horas depois recebo um telefonema da ama, o miúdo já tinha as manchinhas no corpo inteiro, mãos, pés, boca, babava-se muito, queixava-se para comer (inédito com a ama) e tinha a linguinha esbranquiçada… fui a correr para lá, a arder em culpa, pensando que o tinha despachado quando ele afinal não estava chato, mas sim doente! Falei de imediato com a pediatra que percebeu que era uma estomatite aftosa de origem viral, um nome comprido para ‘boquinha cheia de aftas’. Resultado é uma infeção sem qualquer gravidade mas que dá um incómodo terrível. Não admira que não dormisse e não quisesse comer.

Lá fui para casa com o rebento e iniciei mais um período em casa 😩 desta vez com o peso acrescido da culpa de ter despachado o miúdo quando afinal ele estava cheio de razão, todo incomodado. Redimi-me aos beijos naquela cara com borbulhinhas e muita paciência para um miúdo que durante 2 dias e duas noites SÓ quis colo e gritava em qualquer outra modalidade.

Eu que entrei na maternidade a imaginar que ia ter 3 ou 4 filhos dei por mim a ter um sonho recorrente nestes dias de falta de horas de sono, que engravidava novamente. O contraste face ao meu desejo de há uns anos é que assim que recebia a notícia desatava a chorar em pânico a olhar para o meu marido ‘O QUE É QUE NOS FIZEMOS?!?!’ e acordava com o coração a palpitar…

Não me entendam mal, adoraria ter mais filhos… só não aguento mais…. preciso de dormir, de ter um ritmo de trabalho de 5 dias por cada 2 de descanso, de ter férias, simplesmente… ainda há quem me diga que daqui a uns anos penso de outra forma, mas acho que daqui a uns anos vou estar só divertida a fazer estas coisas todas… sem saudades, nem penas, a curtir os dois miúdos que trouxemos ao mundo e que já nos ocupam o suficiente ❤️😘👌😍

Beijinhos e bom ano a todos, com poucas gripes e constipações, de preferência.

Anúncios