Pais

Há pouco tempo vi um post no Instagram da Andreia, ‘No colo da mãe’ onde ela falava do marido e da sua capacidade de ser pai, face à expectativa que ela tinha com o ser ‘a’ mãe. O elemento parental preferido, o mais importante. Falava como o marido era um excelente pai e ela era uma excelente mãe e pronto. Sem mais nem menos…

Porque trabalha um bocado mais longe o meu marido passa muitas horas fora de casa e eu acabo por ser mãe solteira durante a semana. Ao fim de semana estamos juntos, exceto se tiver de tratar dos carros, e lá fico com os miúdos.

Acaba por poder participar apenas de noite. Mas fruto de ser eu a estar com os miúdos durante o dia, costumam chamar por mim de noite. A mais velha com a chegada do irmão lá se habituou a chamar o pai e é o momento que passam juntos todas as noites naquela vez ou duas que acorda (deve ser para matar saudades). Já o mais novo acorda a meio da noite e fica acordado 1 ou 2 horas. Sim ouviram bem. Houve uma noite que ficou acordado 3 horas. Três horas. 😲😳 Imaginam a minha cara? De noite assim 🤱, de manhã assim 🧟‍♀️… o miúdo sempre assim 👼

Até à 1 mês atrás em que ficou adoentada e de noite estava incapaz de ir ter com o miúdo. Talvez o meu corpo estivesse mesmo a dizer que não aguentava mais o ritmo… ora acabou por ter de ser o pai da criança a fazer também aquele turno, dava-lhe leite e adormecia-o.

Confesso que estava preocupada sobre se ele (pai) iria aguentar passear a criança 2 horas naquele quartinho, entre as 3 e as 5 h da manhã. Mas eis que todos me surpreenderam quando o Vi adormeceu em 10 min, em vez de 2 horas… foi assim na primeira, segunda e terceira noite. Claro que eu anunciei ao querido marido que tinha ganho lugar de destaque neste espetáculo noturno, pelo que as idas ao mais novo ficariam agora a seu cargo.

Enquanto eu me perguntava o que é que em mim estaria a deixar inquieto o rapaz, a minha ansiedade, estar ali a pensar no trabalho em espera em vez de estar descansada (sei lá, acho que pensei em tudo), o miúdo depois de umas semanas de pai, simplesmente, pela primeira vez em 1 ano e 5 meses começou a dormir a noite toda. Acordaria ele na expectativa de estar com a mãe? Coincidência de estar a crescer e simplesmente passar a dormir mais e seguido? A verdade é que ele passou a dormir e eu, ao fim de 1 ano e meio, comecei a descansar de noite. Sim fiquei muito feliz. Se não estivesse tão cansada talvez tivesse saltado de alegria…

Em duas semanas a dormir a noite toda o Vi cresceu 3 dedos, começou a comer melhor, aumentou de peso e deixou de caber em calças e camisolas. Afinal dormir faz mesmo crescer…

E os pais… são mesmo precisos. De forma única e diferente das mães. Não é preciso nem desejável que façam o mesmo que elas. Basta serem eles mesmos, no seu papel de pais e os efeitos serão visíveis e óbvios. E positivos, já agora.

E agora, vou ali dormir e já venho. Sim, dormir mesmo. Às vezes as pessoas que têm filhos também conseguem dormir… ☺️😴

Anúncios