É preciso uma pausa

Dizem que é preciso dormir. Ou saber aproveitar. Ou estar sem os miúdos. Sozinho ou a dois. Às vezes acho que o que me falta é estar. Só. Só estar e estar, só.

Então, há fases em que os miúdos não dormem. É duro como tudo. Ando à base de café, chego atrasada a todo o lado. É mau e dói. A cabeça não descansa, falo com as pessoas e sinto-me sempre mal lavada, despenteada, etc.

Há também as fases em que tudo corre de feição, claro. Adormecem cedo, ainda sobra 1 ou 2 horas ao dia, dormimos, trabalhamos, é tudo perfeito.

Depois há as outras fases. Aquelas em que eles até dormem. A coisa até corre toda bem. Mas à hora de deitar demoram a adormecer. Porque estão cansados demais, porque dormiram demais, porque nos estamos ansiosos, porque nos estamos entusiasmados, porque comeram, porque têm fome, porque não brincaram, porque brincaram. Tudo é uma boa desculpa para, sabe-se lá porquê, demorarem 1, 2 ou mais horas a adormecer. Sobretudo o mais novo…

Nestas fases vamos deita-los pelas 21h e ele(s) adormece(m) pelas 22.30h ou já quase 23h… é claro que nessa altura nós também caímos. Adormecemos exaustos daquela luta, daquele dia, de todos os outros dias, de nós, das refeições, das brincadeiras, do trabalho. Adormecemos. E não (nos) falamos, não nos sentamos no sofá, não vemos TV, não lemos, não fazemos pagamentos, não nada. Nestes dias não estamos. É tudo deles.

E quando o dia começa só da para orientar a roupa e a loiça, preparar os pequenos almoços e lanches, vestir e fazer as entregas nas escolas.quando chego a casa com eles ao fim do dia é: banhos, vestir, jantares, fazer comida e acormecê-los. Não da para mais nada.

E de dia não me lembro de nada. A sensação é a de que os dias estão a passar por mim a galope e eu não os acompanho. As pessoas falam comigo e eu não sei as datas. Estou em piloto automático. Não consigo pensar, respondo e depois penso na resposta. Penso que tenho de passar mais tempo com eles, na brincadeira. E tenho. Mas o que preciso mesmo é de estar, só. Sentada no sofá, desligada, acordada. Meditar, a ler um livro a pensar no dia que passou, a planear o próximo. A saborear o tempo que também se passa na minha cabeça.

Preciso de estar com eles, perto de mim, nesse conforto maternal e de segurança do lar, sem que eles estejam a ocupar todo o espaço. A noite é maravilhosos. As duas horas extra de sono deles são as duas horas do meu dia.

E quando não tenho isto, perdoem-me os aniversários que esqueço, os eventos que desmarquei, perdoem o facto de falar convosco através de vocês. Preciso outra vez de ser eu ❤️

Anúncios

2 thoughts on “É preciso uma pausa

  1. Sim, esta fase custa e é dolorosa no sentido em que não há hipótese de ficar leve. Mas vai ficando cada vez melhor e, não ser leve não quer dizer que seja pesado.
    :))

Também quero dizer uma coisa

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s