Momentos a dois

Acontece que (alguns) casais discutem. Acontece. Têm problemas, zangam-se, irritam-se, tentam com muita força chegar a acordo, mas às vezes tentam com tanta força que não conseguem. E depois da zanga vem o porquê. Porquê? Porque é que nos passámos tanto ou estamos tão irritados? Esperançosamente atingimos o momento de clareza em que decidimos que precisamos de passar mais tempo juntos, ou mais momentos de lazer.

Assim combinámos que quinzenalmente a MR iria passar uma manhã a casa dos avós ou padrinhos para nós termos momentos a dois. É preciso antes de explicar o que fazemos nesses momentos, um bocadinho mais sobre nós. E sim vou revelar o que fazemos nessas horas.
Os orientais, mais concretamente os japoneses, consideram o espaço da casa uma extensão de si e nesse sentido também a sua limpeza faz parte da sua higiene pessoal. Eu sinto-me nesta linha de pensamento. E por sorte ou destino ou escolha, acontece que o meu querido marido partilha deste sentimento. Antes de ter engravidado começávamos as limpezas sábado de manhã, logo a seguir ao pequeno-almoço, eu tratava das zonas húmidas (casa-de-banho e cozinha), ele tratava dos motores, vulgo aspirador, depois era limpar o pó e arrumar para mim, lavar para ele e quando acabávamos tomávamos banho. Acabávamos por volta das 16horas exaustos mas felizes, no sofá, num almoço tardio, a inspirar profundamente o ar limpo e fresco da nossa casinha. Todos os sábados.

Quando engravidei enjoei horrores e não podia sentir o cheiro de nada, muito menos produtos de limpeza. Quando passaram mais os enjoos fiquei inchadíssima por isso nem me baixar podia. Finalmente a MR nasceu e eu não tinha tempo para nada, mal dormia e o tempo livre acabava por ser para trabalhar, resumindo, soube muito bem ter ajuda de uma empregada nestas alturas.

Acontece que há algum tempo desabafei como tinha saudades dessas manhãs/tardes de limpezas. E imediatamente trocámos um olhar cúmplice. Percebemos que precisávamos desse nosso ritmo de limpar alma enquanto esfregávamos um pedacinho de chão. Ridículo, pensam vocês, tiramos uma manhã de 15 em 15 dias para limpar?!?! É exatamente isso que fazemos. Entregamos a cachopa a cuidados familiares e limpamos a fundo uma parte da casa. No fim vem o nosso banho e a sensação de limpeza a partir de dentro.

Hoje foi dia de limpar. Bom, se algum dia nos cansarmos disto claro que podemos tirar a manhã para o que raio nos apetecer, mas isto é exatamente o que nos apetece agora. Limpar. Já reza o ditado, ‘não há nada que água e sabão não limpe. Só as más línguas.’ Neste caso até a alma fica purificada. E nem foi preciso esfregar muito.